[Total: 0    Média: 0/5]

|

Depressão: como essa doença pode ser identificada?

O número de pessoas diagnosticadas com depressão aumenta a cada ano. As instituições de saúde, órgãos governamentais e instituições de ensino têm chamado a atenção para a seriedade desse distúrbio, através de campanhas de conscientização.

Entretanto, a sociedade ainda enfrenta, de modo geral, grandes dificuldades para identificar a depressão ou mesmo reconhecê-la como uma doença que precisa de intervenção médica imediata.

Outro agravante, é que essa desordem se manifesta de maneiras diferentes para cada indivíduo e fatores como gênero e faixa etária contribuem para que as pessoas próximas não consigam identificar com clareza o período depressivo prolongado até que a situação atinja um extremo.

Entenda a seguir, quais são os principais sintomas da depressão e como ela pode se apresentar dentro de contexto específicos. Acompanhe!

Quais são os principais sintomas de um quadro depressivo?

Indícios emocionais e comportamentais

A depressão é caracterizada, principalmente, pelas mudanças de humor. Assim, pessoas que costumavam sair para socializar com amigos com frequência e, de repente, abandonam essas atividades e passam a dormir mais horas do que o normal, podem estar sofrendo de depressão.

A principal diferença entre a depressão e o sentimento de tristeza, que pode ser causado por uma série de fatores como período de luto ou término de relacionamentos, é que no primeiro caso, a sensação de desânimo profundo é persistente e se estende por mais de 2 semanas.

Em algumas pessoas, principalmente em homens, a depressão pode parecer uma sensação de vazio e perda de interesse em tudo. Então, nem sempre se trata simplesmente do sentimento de tristeza, mas também da falta de sentido em tudo aquilo que antes servia como propósito para a vida do indivíduo.

Ademais, essa dificuldade em enxergar sentido não é apenas em relação às atividades empolgantes, mas, sobretudo, associada às obrigações mais corriqueiras do dia a dia. Sair da cama, tomar um banho ou ir até um supermercado, por exemplo, pode se tornar extremamente difícil e desgastante.

O sentimento de que talvez a vida não vale todo esse esforço pode se tornar presente conforme a depressão se prolonga e levar a pessoa depressiva a colocar a sua própria vida em perigo. Choro sem motivos aparentes ou a sensação de ter os olhos cheios de lágrimas por uma situação mínima também é um claro sintoma.

Indícios físicos

A depressão tem efeito direito sobre a química do organismo humano e provoca sintomas físicos reais. Os mais comuns são:

  • Dores musculares;
  • Distúrbios do sono;
  • Dores de cabeça;
  • Dificuldade de concentração;
  • Cansaço;
  • Falta de energia;
  • Ganho ou diminuição de peso;
  • Lentidão;
  • Dificuldade de olhar nos olhos;
  • Isolamento;
  • Dores nas costas e articulações.

Se ninguém em seu meio social for capaz de identificar a depressão ou dar a importância adequada para a situação, o sujeito afetado pode piorar rapidamente. A depressão não é algo sobre o qual um indivíduo pode simplesmente decidir sair. Pressionar uma pessoa depressiva para que ela “pare” essa situação por si mesma, ou diminuir a seriedade dos sintomas e queixas através de palavras nunca gera bons resultados.

Se você perceber esses sintomas em pessoas próximas, busque orientação psicológica e ajuda médica para saber abordar da forma correta.

A depressão não tem cura, mas pode ser tratada ao longo da vida e controlada para não interferir de maneira grave na qualidade de vida do paciente. O tratamento para a depressão pode ou não incluir medicação, além do acompanhamento psicoterapêutico.

Agora que você já sabe como identificar a depressão, visite o nosso site e conheça os medicamentos fitoterápicos indicados para diminuir os sintomas desta doença!